Arquivos do Blog

meditação do dia 17/09/15 – Deus perdoou a mulher por sua fé

23b8bcc21012ca3582a9cd1835e68213

 

Primeira leitura: 1 Timóteo 4, 12-16

Bom exemplo e dedicação

A primeira leitura leva-nos a rezar pelos sacerdotes, para que estejam cada vez mais conscientes do carisma da ordenação sacerdotal, o estimem e o cuidem na intimidade com Deus e no serviço aos irmãos: «Não descures o carisma que está em ti, e que te foi dado através de uma profecia, com a imposição das mãos dos presbíteros» (v. 14).

Mas também é importante rezar pelos fiéis, para que prezem o carisma do sacerdócio, apoiem aqueles que o receberam com a sua oração, com a sua amizade, com a partilha dos bens necessários para a sua subsistência.

Salmo: Sl 110(111),7-10
R. Grandiosas são as obras do Senhor!

 

Evangelho: Lucas 7, 36-50

“Se este homem fosse um profeta …”
“Quem é este que até perdoa os pecados?”

A cena que este Evangelho descreve é a da pecadora que, arrependida, lava com suas lágrimas os pés de Jesus, enxuga-os com seus cabelos e os perfuma. Seu arrependimento dos pecados se expressava assim, sem necessidade de palavra alguma.

Notemos a reação do fariseu que convidara Jesus para aquela refeição, e a reação de Jesus.

O fariseu sentia simpatia por Jesus, a ponto de convidá-Lo para uma refeição.

Mas em seu íntimo tinha ainda algumas reservas contra Ele.

Foi por isso que pensou, vendo aquela pecadora que ‘se atrevia a tanta familiaridade com Jesus’:

“Se este homem fosse um profeta …” (Lc 7,39).

Jesus ‘ouviu’ o pensamento de Simão, como se chamava aquele fariseu. Nisto Jesus já se mostrava um profeta. E tudo o que disse a Simão o confirmou: como profeta Jesus o repreendeu com aquele tipo de sabedoria afetuosa que converte os maiores pecadores. A prova era aquela mulher a seus pés: ela teria ouvido Jesus falar nas praças e foi levada à conversão pela santidade que Jesus inspirava.

Porém o fariseu, no fim desta cena, terá outra compreensão de Jesus. Com seus convidados Simão fariseu terá perguntado, depois que Jesus declarou perdoados os pecados daquela mulher:

“Quem é este que até perdoa os pecados?” (Lc 7,49).

E Jesus terminou:

“Tua fé te salvou. Vai em paz” (Lc 7,50).

Como assim, “Tua fé te salvou”? Jesus não devia terminar dizendo que a mulher fora perdoada de seus pecados porque estava arrependida? Ora, isto Ele já tinha dito nestas palavras:

“ os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados,
porque ela mostrou muito amor”

Aqui Jesus deu outra lição para nosso proveito: a fé que salva é a fé fundada no amor de Deus. Deus por nós amado se compadece de nós pecadores e nos perdoa.

Levemos para nossa vida estas compreensões, e repitamos nossa meditação sobre esta cena muitas vezes.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

 

Homilia

 

Diário Espiritual

Jesus vai comer na casa do fariseu, onde uma mulher, pecadora pública, demonstra seu amor lavando os pés de Jesus com suas lágrimas e enxugando-os com os cabelos. O fariseu julga e condena Jesus e a mulher. Jesus ensina, com a história dos dois devedores perdoados, onde temos: a misericórdia de Deus que perdoa o pecador arrependido: “Mulher, teus muitos pecados estão perdoados, por que tens demonstrado muito amor”! e a fé que salva: “Tua fé te salvou. Vai em paz”!

252_x_239_522f34f7744978b503d79188ff999d3c

Questionamento:

– Eu sou o fariseu, que julgo e condeno o irmão? Ou sou a pecadora que  busca a misericórdia de Deus, no Sacramento da Confissão?

– Qual nossa atitude para com os pobres e os humildes?

– Não acontece às vezes de eu me julgar mais importante que os outros?

– Uso de misericórdia para com os que erram?

– O que é mais fácil, ressaltar os erros do próximo ou procurar ver suas qualidades?

– O fariseu condena Jesus e também a pecadora! Tudo num pacote só! O que pensar disso?